Crescendo na Graça e no Conhecimento, e no Apascentamento
ENTENDENDO SEU CHAMADO
18/08/2016

ENTENDENDO SEU CHAMADO

Certa vez, Napoleão apontou para um mapa da China e disse: “ali repousa um gigante adormecido. Se um dia ele acordar, nada poderá detê-lo”. Podemos dizer que a igreja é um gigante adormecido. A cada domingo, os bancos da igreja estão cheios de membros que não estão fazendo nada, estão inertes.

A designação de membro ativo na maioria das igrejas indica aqueles que a freqüentam regularmente e contribuem com ofertas e dízimos. Nada mais do que isso é esperado. Porém, Deus tem expectativas bem maiores para s cristãos. Ele espera que cada um use seus dons e seus talentos no ministério. A atividade do cristão não é somente vir ao culto, ofertar e dizimar, mas também ministrar. Todos nós fomos chamados para ministrar.

I. Você foi chamado não para ocupar um espaço dentro da igreja, mas para ministrar. Cada crente é um ministro.

Não queremos dizer com isso que todos serão pastores, mas que todos são chamados para ministrar. O Ide é para todos os cristãos. Jesus não disse que somente os apóstolos, evangelistas e pastores deveriam ir, mas todos aqueles que são seus discípulos, ou seja, todos os seus seguidores (Mt 28.19,20).

Deus chama todos para o ministerio no mundo e na igreja. O serviço no Corpo não é opcional. Ser um cristão é ser parecido com Cristo. Ele mesmo disse que veio não para ser servido, mas para servi e dar a sua vida em resgate de muitos (Mc 10.45). Servir e dar são características definitivas de um estilo de vida semelhante ao de Cristo.

 

O cristão é criado para o ministerio (Ef 2.10; Jo15. 16);

É salvo para o ministerio (2Tm 1.9);

É chamado para o ministério (1Pe 4.10);

É autorizado ministrar (Mt 28.19,20);

É preparado para o ministerio (Ef 4.11,12);

É necessário para o ministério (1Co 12.27);

É responsável pelo ministerio, e será recompensado por ele (Cl 3.23,24).

1. Cada ministério é importante dentro do Corpo.

Não existem pessoas pequenas dentro do corpo de Cristo, assim como não existem ministérios insignificantes (ver 1Co 12.18-22).

Alguns ministérios são visíveis, outros ficam por trás das cortinas, mas todos são igualmente valiosos.

2. Dependemos uns dos outros.

Nenhum ministerio é independente. Uma vez que nenhum ministério pode realizar sozinho tudo o que a igreja é chamada a fazer, devemos depender e nos juntar uns aos outros. Quando uma parte do corpo não funciona bem as outras partes também não funcionam. A cooperação de cada parte é imprescindível para o seu próprio aumento e edificação (Ef 4.16).

 

 

II. Quando entendemos que fomos chamados não para ocupar apenas um espaço dentro da igreja, mas para ministrar, nos tornamos cristãos de primeira classe.

 

Jesus disse: “vão pelo o mundo todo e pregue o evangelho às criaturas” (Mc 16.15). O cristão de primeira classe reconhece que a Grande Comissão é a sua comissão.

Ou você é um cristão da melhor qualidade, ou é um cristão mundano. Cristãos mundanos buscam principalmente a satisfação pessoal. Adoram comparecer a reuniões de campanhas, cultos que prometem vitória financeira, mas você jamais os achará em conferencias sobre missões, em classes de estudos bíblicos, teológicos, porque não estão interessados. Suas orações se concentram em suas próprias necessidades, bênçãos e felicidade. É a fé do “eu primeiro”. Eles querem usar a Deus para seus propósitos, em vez de serem usados por Deus para os propósitos dele.

Os cristãos de primeira classe, em contrapartida, sabem que foram salvos para servir e feitos para uma missão. Eles são ávidos por receber uma missão pessoal e se entusiasmam com o privilegio de ser usados por Deus. Sua alegria, confiança e entusiasmo contagiam, porque sabem que são importantes para o Reino. Acordam a cada manhã na expectativa de que Deus opere por meio deles de formas novas, em outras palavras, acordam na expectativa de serem um instrumento nas mãos de Deus. Que tipo d cristão você quer ser?

 

1. O cristão de primeira classe não pensa de forma egoísta, mas altruísta.

É importante frisar que aquele (a) que ministra ou lidera deve não somente pensar em si, mas no próximo, deve se interessar pelo o seu crescimento e desenvolvimento. A Bíblia nos diz que não devemos pensar como crianças, mas como adultos (1Co 14.20). As crianças só pensam em si; mas as pessoas maduras pensam nas outras pessoas. Deus também nos ordena: “não pensem somente em seus próprios interesses, mas estejam interessados nos outros também” (Fp 2.4; 1Co 10.33).

 

2. O cristão de segunda classe não pensa somente no imediato, mas também nas coisas eternas.

A maioria dos cristãos de hoje tem um pensamento imediatista, pensam somente no agora, naquilo que é passageiro, e não no eterno. “Fixamos os olhos, não naquilo que se vê, mas no que não se vê, pois o que se vê é transitório, mas o que não se vê é eterno” (2Co 4.18). Todos que lideram ou ministram precisam ter uma perspectiva eterna, precisam ministrar, ensinar que independente das circunstancias, do que conquistamos ou deixamos de conquistar aqui na terra, o que importa é a vida eterna.

 

III. Características de um Líder.

 

1. O líder precisa ser comprometido com o Reino de Deus.

 

É uma pessoa consagrada a Deus e a seus propósitos. O Reino de Deus é primazia em sua vida (Mt 6.33). Não é materialista, mas tem uma perspectiva eterna. Busca não a sua gloria, mas glorificar a Deus.

 

2. O líder deve ser um facilitador da participação de outros.

 

Alguns lideres ao invés de facilitarem a participação de outras pessoas na igreja, ele torna-se uma barreira. Às vezes que fazer tudo sozinho. Aquele que serve à igreja precisa entender que seu trabalho tem como objetivo a edificação e expansão dela (igreja).

 

2.1. O facilitador é um servo-líder, serve por meio do exemplo e de ajuda em vez de só falar. Não é alguém que fala muito, mas alguém que faz. Também reconhece que nem sempre tem todas as respostas.

2.2. O facilitador facilita a participação dos outros. Ele estimula o crescimento de outros os ajudando a desenvolver as suas próprias capacidades e recursos.

2.3. O facilitador é paciente com aqueles irmãos que tem dificuldades de compreender as verdades bíblicas e crescer espiritualmente. Ele torna-se um suporte para tais pessoas.

2.4. O facilitador confia no Espírito Santo. Sabe que o Espírito é um agente da mudança na vida dos membros. Mudanças verdadeiras e duradouras não vêm por força, motivação exterior, ou por causa da capacidade do líder. O líder não pode ser dominador ou centralizador, mas facilitador para que outros também tenham a oportunidade de servir.

3. Precisa ser disponível (Lc 9.57-62).

Não é desocupado mais disposto a servir. Às vezes o servo-líder terá de abrir mão de algumas coisas para servir ao Senhor. Isto não que dizer que vamos ser negligentes com a família, com o trabalho; mas sem prejudicar o tempo dedicado a família, ao trabalho, precisamos dispor de tempo para servir ao Senhor, tempo este que lhe custar uma viagem, um passeio, o futebol, etc.

4. Precisa ser fiel.

O que requer dos despenseiros de Deus é que cada um deles seja encontrado fiel (1Co 4.2). Ele cumpre o que fala, não sendo enganoso. Vejamos alguns aspectos da fidelidade:

4.1. O servo-líder precisa ser fiel ao pastor e à igreja. Ele deve ter um claro compromisso com a unidade de sua igreja local. Precisa ser membro ativo e assíduo na igreja. Em outras palavras, deve vestir a camisa da igreja. Também precisa está comprometido com a preservação da unidade da igreja. Nos dias em que vivemos as pessoas deixam a igreja por qualquer motivo, não há fidelidade à denominação, e nem se quer a respeito ao pastor. Fico impressionado com o numero de pessoas que se dizem ser diáconos, evangelistas, missionários, e até mesmo pastores que vivem pulando de igreja em igreja, tais pessoas não são recomendáveis para liderança de uma igreja local.

 

4.2. O líder precisa ser fiel aos princípios bíblicos, não negociar com a verdade, e jamais procurar tirar proveito das pessoas fazendo mau uso da Palavra (2Co 2.17; 4.2).

5. Precisa ser ensinável.

Deve está disposto a aprender, disposto a ser corrigido. Precisa ser submisso à Palavra de Deus, tendo a capacidade de ouví-Lo. Não é alguém perfeito ou infalível, mas alguém que tem o desejo de crescer e está crescendo (2Pe 3.18). Deve estar interessado e disposto a ser trinado (Hb 5.11-14). Infelizmente muitos que querem ser lideres não gostam de ser corrigidos, acham que já sabem tudo e não precisam aprender mais nada, são negligentes com o estudo da Palavra de Deus. Pessoas que tem estas atitudes não estão aptas para servir ao Reino (Hb 12.4-13; Os 4.6).

Disciplina, submissão, desejo de aprender são indispensáveis àqueles que querem servir na casa do Senhor.

 

Bibliografia

Bíblia de referencia Thompson

Rick Warren. Uma vida com propósito. Editora Vida

Comentários

Comentários

 

Tel: +55 (11) 2097-2787
E-mail: contato@insjesuscristo.com.br

Compartilhe : Siga-nos : 
Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo ® 2013 - Todos os Direitos Reservados   Web Design Masters da Web